Home
Serviços
Patologias Atendidas
Convênios Médicos
Supervisão
Tire Suas Dúvidas
Processamento Auditivo Central
Fonoaudiologia
Fonoaudiologia e Prevenção
Saúde do Trabalhador
Artigos
Publicações
Localização
 
 
 
 
 
 
 

Falar em Público

 

Pernas tremendo, mãos geladas, suor frio, dor de barriga, garganta seca...

 Pode acontecer um "branco total" (onde estou, por que todo mundo está me olhando, o que está acontecendo) ou um "branco parcial" (sei onde estou mas, o que vou falar? Por onde começo?).

 

 Brincadeiras à parte, falar em público gera tudo isso e muito mais, principalmente para aqueles que enfrentam essa situação pela primeira vez. Não adianta dizer: calma, vai dar tudo certo. Na hora do “pânico” tudo o que você consegue imaginar é “não vou conseguir”.

 

  Defini-se falar em público como qualquer situação formal na qual falamos para um grupo superior a cinco pessoas. Portanto, incluem-se aqui: reunião com chefes; qualificações; defesas ou apresentações de teses, dissertações ou monografias, palestras, aulas, minicursos, cursos, entrevistas na mídia, etc.

 

  Como se preparar? Quais erros não podem ser cometidos? Como garantir uma boa apresentação?

  Existem inúmeras dicas e estratégias que podem ser recomendadas porém, o “falar em público” é um conjunto de fatores que se entrelaçam e resultam em uma boa fala, em uma boa palestra ou um bom curso. Dentre esses fatores temos a linguagem corporal, o conteúdo a ser transmitido, o material e equipamento de apoio e a fala propriamente dita. Talvez uma das principais dicas: seja natural, não force o seu estilo, seja honesto no conteúdo que quer transmitir e prepare-se muito, muito mesmo. Um dos fatores de insegurança é não dominar o tema do qual se propôs a falar. Então, domine muito bem o assunto, busque fontes fidedignas, estude e pesquise exaustivamente. Ter conhecimento profundo do assunto seja ele qual for, dará segurança e firmeza na hora da apresentação e a platéia perceberá o seu domínio e permanecerá atenta.

 

  Se você está em um congresso ou curso como um dos convidados e todos já agradeceram pelo convite, torna-se cansativo repetir as mesmas palavras. Tente começar abordando o tema e depois que se descontrair, insira na sua fala o agradecimento e sua alegria por estar no encontro.

 

  Treine falando para a família, para amigos, colegas de trabalho, todos que estejam dispostos a ouvi-lo com boa paciência e possam dizer-lhe quais foram seus pontos fracos. Acate-os mesmo que não concorde. Grave ou filme a sua apresentação e seja crítico, vendo quais pontos precisa melhorar, torne-se espectador de si mesmo.

 

  Quando se diz que é importante ser natural, significa que você deve se sentir à vontade com você mesmo. Se você é naturalmente um bom contador de piadas, pode usar essa estratégia em um momento ou outro, dependendo do assunto. Se você não tem esse talento, não insista, não se arrisque.

 

  Tão importante quanto o domínio do conteúdo é se preparar com antecedência para eventuais incidentes que podem ocorrer. Garanta que os equipamentos que serão utilizados funcionem adequadamente (telão, data show, vídeos). Assegure-se de que as conexões estão corretas e não deixe para checar no momento da apresentação. Chegue com muita antecedência para deixar tudo preparado. Faça inúmeros arquivos e gravações; se uma não funcionar você tem a outra opção.

 

  Normalmente existe um coordenador de mesa marcando o tempo de apresentação e direcionando as perguntas. Respeite o tempo que for determinado para sua apresentação. Nos seus treinos marque exatamente o tempo que você leva e veja se é necessário retirar ou acrescentar alguma informação.

 

  Em geral, fica a critério do palestrante se as perguntas serão feitas durante a palestra ou após. Se você tem bom domínio do assunto, consegue responder sem se alongar e sem fugir do tema, as perguntas podem ser feitas durante a apresentação. Porém, se você tem dúvidas quanto a isso, escolha responder as perguntas no final, pois dessa forma evitará as questões repetitivas e não ultrapassará o tempo estipulado.

 

  Uma boa apresentação sem dúvida nenhuma depende de uma fala clara, bem articulada, voz bem colocada. No dia anterior não grite, poupe a sua voz para que não amanheça com rouquidão. Ingira muita água antes da palestra e durante a apresentação apenas goles pequenos para manter a hidratação da boca, língua, ou seja, dos órgãos fonoarticulatórios. Fale com boa articulação e devagar. Evite usar estereótipos de apoio (né, e aí, então, tá, etc) e preocupe-se em falar a nossa língua corretamente. Olhe para a platéia, não fixe em uma só pessoa, mas passeie o olhar por todos. Utilize palavras que conhece o significado e jamais coloque termos que não saiba explicar ou tenha dúvidas a respeito. Não utilize regionalismos. Expressões que são típicas de uma única região podem comprometer a compreensão dos que o ouvem e gerar desinteresse. Não fale rápido demais; não fale len-ta-men-te demais, alguém pode dormir se estiver cansado. Mantenha uma atitude ativa porém, calma. Se por acaso você vir alguém dormindo na platéia não se desestimule. Acontece até em teatro, com toda aquela acústica e ótimos atores em cena. Pense que não é pessoal e não tente acordá-lo.

 

  Enfim, observar outros bons palestrantes e verificar como se portam é uma ótima forma de se aprimorar nessa “arte” de falar em público.

  A linguagem corporal ou a expressão corporal é tão importante quanto uma fala clara. Não saber onde colocar as mãos (principalmente se o microfone é na lapela); “sobram” duas mãos ou mais (essa é a impressão que se tem). Mas, por incrível que pareça, manter-se descontraído é possível. Basta relaxar a musculatura, percebendo quais partes estão mais tensas, soltar como se estivesse em uma massagem terapêutica, “antes de entrar em cena”. O movimento descontraído não chama a atenção.

 

  A atuação da fonoaudiologia nesta área específica é no sentido do aprimoramento, do refinamento e de eventuais correções quanto à propriocepção e relaxamento corporal, quanto à articulação da fala, colocação da voz, melhora do ritmo e fluência da fala, organização do pensamento e objetividade. A arte de falar em público, torna-se melhor e mais rica à medida que se obtém experiência, segurança e autoconhecimento como em tudo ao longo de nossa existência.

 

Publicado em: 19/08/2013

 
 

Perguntas mais frequentes dos pacientes

Supervisão Atendimento a profissionais da área

PAC Processamento Auditivo Central

 

Contato

Fone: (11) 3699-2049

Fone/Fax: (11) 3682-5040

E-mail: fonoaudiolu@uol.com.br

 

©Fonoaudiolu 2006/2017  Política de Privacidade   E-mail: fonoaudiolu@uol.com.br